Artigo: Nossas cidades estão preparadas para o envelhecimento?

Catanduva está ficando grisalha e as rugas começam a se acentuar em ritmo acelerado. O envelhecimento da população mostra algo a ser comemorado, estamos vivendo mais. Porém, ao mesmo tempo, os números mostram que não estamos preparados para entrar na terceira idade.

Atualmente, Catanduva possui cerca de 19 mil idosos e a estimativa feita para 2020 é de que Catanduva tenha 25 mil pessoas na terceira idade, ou seja, hoje estamos na faixa de 15% e daqui há três anos podemos chegar a 20%.

Em contrapartida, o número de nascimentos e de crianças em período escolar tende a diminuir nos próximos anos.

Diferentemente de Catanduva, a população idosa do Brasil gira em torno de 10%, já a do estado de São Paulo é de 12%, aproximadamente 5,9 milhões de idosos paulistas.

A pergunta que fazemos é a seguinte: nossas cidades estão preparadas para o envelhecimento? Existem politicas públicas para os idosos?

O aumento da idade média dos habitantes vai exigir, muito em breve, mais investimento na área de saúde, gerada pelo aumento na procura por serviços médicos, e gastos mais elevados com previdência, lembrando que vivemos em um país que já enfrenta uma grave crise nas contas públicas, refletindo na vida da população, que, fazendo cortes, muitas vezes deixa os planos de saúde e passam a ser incorporada pelo SUS.

Se o atendimento médico no sistema público já é precário, se não mudarmos, pode piorar ainda mais. Será preciso estimular e investir na formação de mais profissionais especializados em cuidar de idosos, construir asilos públicos e aumentar os gastos em programa de prevenção de doenças crônicas, esta última, uma das maiores prioridades apontadas por especialistas.

Mas não é só isso. Exigirá ainda modificações no planejamento urbano dos municípios, que passarão a conviver com um número cada vez maior de idosos, e também no sistema educacional, já que será preciso ter trabalhadores mais instruídos, capazes de gerar mais renda e fazer frente ao número menor de contribuintes.

Em recente artigo publicado pelo atual Secretário de Desenvolvimento Social do Estado de São Paulo Floriano Pesaro, com o titulo “Envelhecer com mais oportunidades”, ele aborda pontos importantes que mostram que nosso estado está bem avançado nas questões de politicas públicas para os idosos, como a criação do Programa São Paulo Amigo do Idoso, a implantação de novos Conselhos Municipais do Idoso (CMI), de equipamentos e serviços, do Selo Amigo do Idoso e da criação do Fundo Estadual do Idoso.

Só a Campanha “Imposto de Renda do Bem”, arrecadou 12.6 milhões de reais. Os valores arrecadados são revertidos em parcerias com a sociedade civil e municípios. Até o dia 2 de março de 2017, prefeituras e organizações da sociedade civil poderão apresentar projetos sociais que contemplem os oito eixos temáticos indicados no Edital.

Finalizo lembrando que para melhorar o desenvolvimento das cidades, é fundamental cuidarmos das pessoas e assim melhorarmos sua qualidade de vida. É preciso investir certo. Antes de grandes obras, é preciso cuidar do básico.

Uma das prioridades, urgentemente, é diminuir as filas de esperas nos postos de saúde, bem como as intermináveis filas de exames e cirurgias. O envelhecimento da população brasileira é um grande desafio para todos. Lembrando que hoje são eles, amanhã seremos nós.
Julinho Ramos

Publicações relacionadas

Leave a Comment